Baixa libido: Descubra como aumentar a testosterona

Libido – Ela é o principal hormônio masculino, mas as mulheres também têm em seu organismo uma pequena quantidade. Descubra quais são os sintomas da deficiência desse hormônio e como aumentar a testosterona e a libido de forma totalmente natural. 

As glândulas adrenais produzem parte desse hormônio, mas o principal responsável por sua produção são os testículos, nos homens, e os ovários, nas mulheres. Durante a puberdade, esse hormônio é responsável pelo desenvolvimento do corpo masculino, tais como aumento da massa muscular, voz mais grave e crescimento de pelos faciais e corporais. Apesar de ser muito importante durante a puberdade, é essencial que os níveis de testosterona se mantenham altos até a meia idade.

Em adultos ter níveis saudáveis deste hormônio junto da libido é uma questão de saúde e previne o risco de doenças e disfunção sexual. Em adição, aumentar a testosterona pode fazer com que o homem ganhe mais massa muscular e vitalidade em poucas semanas, além disso, tem um importante papel na saúde e bem estar sexual da mulher. 

Não existem dúvidas quanto às pesquisas realizadas: tanto o homem quanto a mulher precisam garantir que seus níveis de testosterona estejam saudáveis, especialmente quando atingem a meia idade. 

A produção dos hormônios sexuais normalmente diminui com a idade, cerca de 2 entre 10 homens acima de 60 anos tem a deficiência desse hormônio e esse número aumenta para 3 a cada 10 homens acima de 70 e 80 anos. Por esse motivo muitos buscam por alternativas para aumentar a testosterona como a libido também de forma natural, sem trazer maiores prejuízos à saúde. 

Conheça a seguir alguns dos sintomas mais comuns relacionados à deficiência da testosterona em homens. 

Baixa libido

Como a testosterona tem um importante papel no desejo sexual, diversos homens podem sofrer com a baixa libido se esse hormônio não estiver sendo produzido como deveria pelos testículos.

Dificuldade em manter a ereção

Apesar da testosterona não ser responsável pela ereção, ela estimula os receptores no cérebro a produzir óxido nítrico. 

O óxido nítrico é uma molécula que ajuda a desencadear uma série de reações químicas necessárias para ocorrer à ereção. Quando os níveis do hormônio sexual estão baixos, o homem pode sentir dificuldades em ter a ereção na hora H ou pode até mesmo ter ereções espontâneas. 

Existem também outras causas que podem fazer com que o homem sinta dificuldade em ter ou manter a ereção, tais como:

  • Diabetes;
  • Problemas na tireóide;
  • Pressão sanguínea alta;
  • Colesterol alto;
  • Fumar;
  • Consumir bebidas alcoólicas regularmente;
  • Depressão;
  • Estresse;
  • Ansiedade.

Perda de pelos

A testosterona tem um papel importante em diversas funções do corpo, incluindo na produção de pelos. A calvície é uma parte natural do envelhecimento de muitos homens, apesar de sua principal causa ser hereditária, aqueles que sofrem com a deficiência de hormônio podem experimentar perda de pelos no corpo e rosto. 

Fadiga

Homens com baixa produção desse hormônio podem sentir uma queda no seu nível de energia. Não é normal se sentir exausto mesmo após uma boa noite de sono. 

Perda de massa muscular

O hormônio sexual masculino tem um papel importante na construção muscular e sua deficiência pode trazer a perda de massa muscular. Apesar disso, o hormônio sexual masculino não afeta necessariamente na força. 

Aumento da gordura corporal

Aqueles que sofrem com a deficiência desse hormônio sexual podem ganhar gordura corporal. Esse fato pode ocorrer devido ao desequilíbrio de estrogênio e testosterona. 

Diminuição da massa óssea

A osteoporose, ou perca da massa óssea é mais comum em mulheres, mas homens que sofrem com a deficiência hormonal podem desenvolver a perda de massa óssea uma vez que esse hormônio ajuda na produção e fortalece os ossos, portanto homens mais velhos podem vir a ter fraturas mais facilmente. 

Alterações no humor

Alterações no humor podem ser frequentes em homens com essa deficiência porque a testosterona influência em diversos processos físicos do corpo, até mesmo no humor e capacidade mental. Estudos indicam que homens com baixa produção do hormônio sexual são mais propensos a desenvolverem depressão e falta de atenção.

Então, o que posso fazer para aumentar a testosterona de forma natural? 

Pratique atividades físicas regularmente e levantamento de peso

A prática que atividades físicas é uma das formas mais eficazes de prevenir doenças relacionadas ao estilo de vida, e pode até mesmo aumentar a testosterona. 

Um estudo descobriu que pessoas que se exercitam regularmente têm níveis mais altos desse hormônio e em homens mais velhos a prática regular de atividades físicas pode aumentar a testosterona e tempo de reação. Outro estudo também mostrou que atividades físicas praticadas por obesos foram mais vantajosas que a perda de peso e dietas.

Treinos de resistência, como o levantamento de peso, é o melhor tipo de exercício para aumentar a testosterona e o desejo sexual em curto ou longo prazo. Todos os tipos de exercícios podem aumentar a testosterona, mas o levantamento de peso e exercícios de alta intensidade são os mais eficazes. 

Consuma proteína, gordura e carboidratos

O que você come pode ter um grande impacto e ajudar a aumentar a testosterona, assim como os seus outros hormônios. Ainda assim, é importante prestar atenção ao consumo de calorias e dieta. 

Fazer dietas de forma constante ou comer demais pode alterar os níveis e produção de hormônios, mas o consumo regular de proteína pode auxiliar a aumentar a testosterona. O consumo de carboidratos também é importante uma vez que pode aumentar a testosterona produzida pelo corpo.

Pesquisas também mostraram que as quantidades suficientes de gorduras boas trazem benefícios para a vida sexual. Apesar disso, não exagere e não faça dietas por longos períodos, tente manter uma alimentação balanceada com a quantidade indicada de carboidratos, gorduras e proteína. 

Faça o uso de estimulantes sexuais naturais

Estimulante sexual natural é uma ótima resposta para quem deseja um tratamento para aumentar a testosterona de forma natural e fácil, uma vez que existem estimulantes em cápsulas, ou seja, é de ingestão rápida. 

Mas fique de olho na informação nutricional do produto e procure por aqueles que contêm bisglicinato de zinco, vitamina D e niacina (vitamina B3), uma vez que esse sal mineral e vitamina são essenciais para a produção e manutenção dos hormônios necessários para ter uma vida sexual satisfatória. 

Descanse e tenha um sono de alta qualidade

Ter uma boa noite de sono é tão importante para sua saúde como sua dieta e a prática de exercício físico, e pode também ajudar a aumentar a testosterona. 

A quantidade ideal de sono varia de pessoa para pessoa, mas estudos relatam que adultos entre 18 e 64 anos precisam dormir de 7 a 9 horas por noite e dormir menos que isso pode reduzir seu nível de hormônio em até 15%.

Outro estudo observou que aqueles que dormiram apenas 4 horas por noite desenvolveram deficiência no nível de hormônios. Tenha certeza se você está tendo uma quantidade suficiente de sono para manter o nível de seus hormônios sexuais e melhorar sua saúde em longo prazo. 

Minimize o estresse e nível de cortisol

As pesquisas estão sempre destacando os perigos do estresse em longo prazo, o que pode elevar os níveis de um hormônio chamado cortisol. Quantidades elevadas de cortisol irão rapidamente diminuir o nível de testosterona, uma vez que ambos não trabalham juntos: se um aumenta, o outro diminui.

O estresse e o cortisol altos podem também aumentar o apetite, peso e o armazenamento de gordura ruim ao redor dos órgãos, impactando negativamente seu desejo sexual, como também, sua libido. Para uma vida sexual saudável, tente reduzir as situações estressantes em sua vida. Foque em uma dieta rica em nutrientes, se exercite regularmente e durma bem. 

Minimize a exposição diária aos compostos semelhantes ao estrogênio

Existem diversos outros fatores que podem afetar seu nível hormonal. A alta exposição aos compostos semelhantes ao estrogênio pode afetar a produção dos hormônios sexuais.

Provavelmente não é surpresa que o excesso de álcool ou drogas, seja de uso medicinal ou recreativo, pode diminuir os níveis hormonais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *